Resenhas

quarta-feira, 20 de julho de 2016

[RESENHA] "O DESTINO DO TIGRE", DE COLLEEN HOUCK

Nome: O Destino do Tigre
Série: A Saga do Tigre #04
Autora: Colleen Houck
Editora: Arqueiro
Onde comprar: Buscapé
Honra. Sacrifício. Amor. Poderia o fim de tudo levar a um novo começo?

Kelsey, Ren e Kishan sobreviveram a três aventuras dramáticas e muitas provações. Mas, antes que possam partir na busca pelo último presente da deusa Durga, têm que enfrentar o feiticeiro Lokesh em seu próprio território.

O vilão sequestrou Kelsey e já detém o poder de três amuletos. Ela precisa escapar de suas garras para quebrar a maldição do tigre, libertando seus amados príncipes. Esse, porém, é apenas o início da história em que escolhas difíceis e decisivas devem ser feitas por todos.

O elemento principal agora é o fogo, e em meio a lava, demônios, animais fantásticos e zumbis, o trio enfrenta seu derradeiro desafio. O caminho é arriscado e cheio de reviravoltas potencialmente fatais. Só uma coisa é certa: ninguém pode fugir de seu destino.

A saga dos tigres chega ao auge. Nunca antes Kelsey, Ren e Kishan sofreram tanto, estiveram tão unidos e precisaram lutar contra inimigos com tamanho poder. Emocionante do início ao fim, O destino do tigre explica todos os mistérios que unem os personagens e promete surpreender os leitores.


Resenhas | Série “A Saga do Tigre”


   


No final de “A Viagem do Tigre” vimos nossos amados heróis lutar contra Lokesh e seus capangas em pleno alto mar e, mais desesperador ainda, testemunhamos Kelsey ser levada pelo maligno feiticeiro.

Agora, no quarto e por hora último volume da série, Kelsey busca por um plano que vá livrá-la de seu cativeiro ao mesmo tempo em que tenta lidar com o insano vilão. Com cada canto do prédio vigiado e protegido, uma fuga parece impossível – para o horror da protagonista -, mas é claro que ela não está sozinha nessa. Sabemos que Ren e Kishan jamais abandonariam Kelsey e eles não nos decepcionam. Os garotos não medem esforços até ter sua amada completamente a salvo em casa, mas é claro que a sensação de calmaria não dura por muito tempo.
“Em nossa última busca para quebrar a Maldição do Tigre, eu tinha lutado contra um kraken e um tubarão gigante. Mas, de certa forma, aquelas feras não pareciam tão perigosas quanto a personificação do mal que eu enfrentava agora, o monstro que havia transformado meus dois príncipes indianos em tigres mais de três séculos atrás.”
A busca pelo quarto presente de Durga se inicia exigindo sacrifícios dolorosamente difíceis e nos revela como os destinos dos protagonistas foram traçados há muitos anos atrás. Assim como das outras vezes, sua nova aventura os leva para um mundo misterioso, escondido de olhos humanos e habitado por criaturas extraordinárias, e ela não termina quando a oferenda é encontrada – ao contrário, é quando a batalha decisiva realmente começa.

Kelsey e os irmãos Rajaram são levados para lutarem ao lado da personificação de Durga contra o demônio Lokesh. Os jovens serão testados mais uma vez em situações que exigem coragem, força, inteligência e perseverança, pois o último caminho pelo qual eles devem trilhar não é fácil, assim como as escolhas a serem feitas.
“Eu me sentia exausta das batalhas constantes, do estresse de estar sempre em perigo e dos monstros e vilões que nos espreitavam a cada esquina… Tudo o que eu queria era estar cercada por aqueles que eu amava, saber que estavam seguros e por perto. Uma a uma, as pessoas que eram mais importantes para mim haviam sido levadas.”
É difícil terminar uma série muito querida e com “A Saga do Tigre” não foi diferente. É claro que ainda teremos a história de Kishan em “Tiger’s Dream” quando a Colleen resolver lançar o bendito, mas tenho minhas dúvidas se será a mesma coisa, já que a maldição do tigre foi quebrada e nossos protagonistas seguiram seus destinos.

Com base nos livros anteriores, eu já sabia o que esperar do quarto volume, mas isso não tornou a leitura menos empolgante. De novo Kelsey, Ren e Kishan são levados para um mundo novo e mágico, onde eles se deparam com animais e personalidades lendárias - nem todos tão amigáveis -, além dos objetos incríveis e poderosos que cruzam seus caminhos. Embora seja uma fórmula repetida, não há como se cansar da história já que Colleen Houck, com sua escrita deliciosamente lírica e bem detalhada que me encanta, sempre consegue se reinventar.

Eu nunca deixo de me surpreender com a inteligência e criatividade da autora, que sabe construir uma história fascinante e rica em informações, com personagens apaixonantes, uma mitologia bem explorada e aventuras que fazem o leitor se sentir dentro das páginas, lutando junto aos protagonistas para que o bem triunfe sobre o mal. Quando terminei a leitura tive a sensação de que, desde o primeiro livro da série, Colleen sempre soube como sua história terminaria e por isso já tivesse cada acontecimento ao longo dos quatro volumes escrito em sua mente. Tudo parece estar interligado e é como se o destino dos nossos heróis estivesse escrito desde o início, como se sua missão na vida fosse lutar para salvar o mundo de um mal terrível, indo além de uma busca para quebrar uma maldição antiga.
“– Bem, isso pode ser um pouco absurdo, mas Lokesh acha que é o destino dele reunir o amuleto. E se o Amuleto de Damon estiver mesmo destinado a ser reagrupado, mas esse não for o destino dele, e sim o de vocês?
Kishan riu.
– Você tem razão. Isso é absurdo.
– Pense bem – argumentei. – Ele é chamado de Amuleto de Damon e transformou vocês em tigres. Damon é o tigre de Durga, a deusa que nos enviou nessas buscas. O Mestre do Oceano disse que isso aconteceu a vocês por uma razão. E se você estiverem destinados a salvar o amuleto?”
Os personagens são forçados a tomar decisões complicadas, que poderiam muito bem estar entre as mais difíceis de suas vidas. Cada um deles possuem dúvidas e verdades que são obrigados a enfrentar, mas são essas situações que os fizeram crescer e amadurecer.

Quanto à edição, não tenho do que reclamar. A Arqueiro fez um bom trabalho das outras vezes e não decepciona no último livro da série. A capa é simplesmente maravilhosa, toda metalizada e com detalhes em revelo que ficaram incríveis junto à imagem da fênix. O texto tem uma boa fonte e tamanho, bons para leitura, além disso não encontrei erros de revisão.

“O Destino do Tigre” é um livro lindo e emocionante que eu não queria que acabasse nunca, mas como todas as coisas boas, ele também teve um fim – e que fim, chorei um rio de lágrimas. Sinceramente, acho que foi um bom desfecho porque foi surpreendente, mas deixou muitos leitores de coração partido – e é por isso que preciso de “Tiger’s Dream”, para comprovar por mim mesma que um certo alguém de fato teve seu final feliz.
“Ren segurou o braço de Kishan e disse com um tremor na voz:
– Seu na vida, Kishan.
– Seu na morte, Dhiren – completou Kishan.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário