Resenhas

sábado, 29 de julho de 2017

[RESENHA] "A PRISÃO DO REI", DE VICTORIA AVEYARD

Nome: A Prisão do Rei
Série: A Rainha Vermelha #03
Autora: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Onde comprar: Buscapé
No terceiro volume da série que já vendeu mais de 250 mil exemplares no Brasil, tudo vai queimar.

Mare Barrow foi capturada e passa os dias presa no palácio, impotente sem seu poder, atormentada por seus erros. Ela está à mercê do garoto por quem um dia se apaixonou, um jovem dissimulado que a enganou e traiu. Agora rei, Maven continua com os planos de sua mãe, fazendo de tudo para manter o controle de Norta — e de sua prisioneira.

Enquanto Mare tenta aguentar o peso sufocante das Pedras Silenciosas, o resto da Guarda Escarlate se organiza, treinando e expandindo. Com a rebelião cada vez mais forte, eles param de agir sob as sombras e se preparam para a guerra. Entre eles está Cal, um prateado em meio aos vermelhos.

Incapaz de decidir a que lado dedicar sua lealdade, o príncipe exilado só tem uma certeza: ele não vai descansar enquanto não trouxer Mare de volta.


Resenhas | Série “A Rainha Vermelha”


  



A Guarda Escarlate sofreu uma emboscada e agora Mare é uma prisioneira de Maven. O menino prateado continua seu reinado de terror, manipulando toda uma nação – não só prateados, mas também vermelhos e sangue-novos - contra os rebeldes e utilizando a garota elétrica para dar voz as suas palavras maliciosas. Com uma mente cada vez mais instável, Maven faz grandes jogadas em sua tentativa de aniquilar a rebelião. Seus planos conseguem importantes aliados para o seu reinado em Norta, mas também conquistam inimigos poderosos.

Cercada de guardas e com os seus poderes inutilizados pelas pedras silenciosas, Mare só pode rezar para que a Guarda Escarlate a resgate. Não há nada que ela possa fazer para escapar das garras de Maven, mas a obsessão que o rei tem por ela talvez venha a ser a sua carta na manga e o garoto que mente e manipula pode acabar provando do próprio veneno.
“— Não sou tolo, menininha elétrica. — Seu tom acompanha o meu. — Se vai brincar com a minha mente, vou brincar com a sua. Somos bons nisso.”
Enquanto isso a Guarda Escarlate decide sair das sombras, expandindo sua influência e colecionando importantes vitórias. Cal utiliza todo o seu conhecimento sobre guerras para ajudar como pode, às vezes a contragosto. O príncipe exilado ainda não se decidiu por um lado, a única coisa da qual ele tem certeza é de que não vai desistir de trazer Mare de volta.

Ainda estou decidindo se “A Prisão do Rei” é o meu favorito entre os três lançados até o momento, mas uma coisa é certa, eu adorei esse livro. Victoria Aveyard nos entrega uma obra com todos os elementos que se espera da história de Mare Barrow, com divisões políticas, batalhas fantásticas, personagens problemáticos, um pouco de romance, planos inteligentes e traições que para você podem ou não ser previsíveis. Conforme a trama avança, a tensão vai crescendo e o conflito entre prateados e vermelhos/sangue novos só aumenta.

Além da protagonista Mare, o livro ganha mais duas narradoras, o que nos deixa acompanhar a situação dentro dos três principais grupos que lutam pelo controle de Norta e também nos permite conhecer essas personagens de uma forma mais profunda.

No entanto, os capítulos narrados por Mare continuam sendo os mais longos. Aqui vemos que ela realmente aprendeu com seus erros; a personagem está mais madura e embora carregue traumas dos abusos ao qual foi submetida, ela parou de tentar afastar a todos.

Maven foi melhor explorado e muitos detalhes a seu respeito foram revelados. Não há nada que justifique as atrocidades que ele cometeu, no entanto aqui descobrimos a razão de sua mente perturbada.
“— Ele diz que a rainha deixou furos — conto. — Ela mexeu com a cabeça dele, tirando e colocando peças, embaralhando tudo. Maven sabe que tem algo errado com ele, mas acredita que está seguindo um caminho do qual não pode desviar.”
Mesmo lutando e liderando ao lado da Guarda Escarlate, Cal ainda não conseguiu se desprender de suas raízes. Finalmente vemos seu romance com Mare desabrochar, mas dentro da guerra entre prateados e vermelhos ainda não é certo onde está sua lealdade.

Embora eu tenha gostado muito do livro, isso não quer dizer que a minha leitura tenha sido rápida. A maioria dos leitores parecem ter achado o início muito parado, mas para mim os momentos que antecedem uma grande luta perto do final foram os mais monótonos e apesar de ocupar apenas alguns capítulos, confesso que eles levaram muito do meu tempo.

“A Prisão do Rei” é entusiasmante e o desfecho nos leva por um caminho que não temos ideia de onde vai dar e que infelizmente só descobriremos daqui a alguns meses, no último livro da saga. Espero loucamente pela sequência, mas não estou preparada para dar adeus a esse mundo maravilhoso criado por Victoria Aveyard.
“A mãe dele tirou o amor de Maven por você, Cal. Ele o amava. Maven sabe que amava. Isso simplesmente não está mais lá, e nunca estará.”

2 comentários:

  1. Quando terminei de ler fiquei sem chão, e o pior, não tinha ninguém pra comentar. Já fazem meses que terminei e ainda não consigo parar de pensar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Siim, eu também não paro de pensar sobre o final e o que pode acontecer. Quero logo o próximo livro, estou bem ansiosa. =D

      Excluir