Resenhas

domingo, 7 de fevereiro de 2016

[NOVIDADES] LEIA MAIS UM TRECHO DE "TODO SEU", O ÚLTIMO VOLUME DA SÉRIE "CROSSFIRE"

A Editora Paralela resolveu divulgar mais um trecho de "Todo Seu", o último volume da série erótica "Crossfire", de Sylvia DayO romance chega às livrarias a partir do dia 05 de abril.

Pré-Venda ► Amazon, Saraiva, Submarino, Livraria da Travessa, Extra, Ponto Frio e Casas Bahia.

Gideon Cross. A coisa mais fácil que já fiz foi me apaixonar por ele. Aconteceu instantaneamente, de forma completa e irrevogável. Casar com ele foi um sonho realizado. Continuar casada com ele é a maior batalha da minha vida. O amor transforma, e o nosso é um refúgio e também a pior tempestade. Duas almas danificadas que se entrelaçaram. Nossos votos foram apenas o começo. Lutar por esse casamento pode nos libertar... ou nos separar de vez.

Sedutor e comovente, Todo Seu é a última parte da saga Crossfire, uma história de amor que cativou milhões de leitores ao redor do mundo.
Anteriormente foram divulgados outros dois trechos do livro. Clique aqui para ler o primeiro e aqui para ler o segundo.

Era raro pessoas que vinham para Manhattan que não se sentiram familiarizadas imediatamente. O horizonte da cidade tinha sido imortalizado em filmes e programas de televisão demais para serem contados, espalhando o caso de amor com Nova York a todo o mundo.
Eu não era exceção.
Adorava a elegância da Art Deco do prédio Chrysler. Conseguia determinar minha localização na ilha em relação à posição do Empire State Building. Fiquei maravilhada com a altura de tirar o fôlego da Freedom Tower que agora dominava o centro da cidade. Mas o Crossfire Building tinha uma categoria própria. Era o que eu achava antes de me apaixonar pelo homem cuja visão havia levado a sua criação.
Quando Raúl estacionou no meio-fio, eu estava fascinada com o azul-safira do vidro que envolvia o obelisco do Crossfire. Inclinei a cabeça para trás, subindo os olhos pela altura brilhante até o topo, o espaço iluminado que abrigava as Indústrias Cross. Os pedestres se reuniam ao meu redor, e a calçada estava apinhada de executivos indo para o trabalho com pastas e bolsas em uma mão e copos quentes de café na outra. Senti Gideon antes de vê-lo, meu corpo todo em alerta quando ele saiu do Bentley, que havia estacionado atrás do Mercedes. A atmosfera ao meu redor era eletrizante, a energia forte que sempre anunciava a aproximação de uma tempestade.
Eu estava entre os poucos que sabiam que a alma atormentada de Gideon era o que causava a tensão.
Eu olhei para ele e sorri. Não era coincidência termos chegado ao mesmo tempo. Eu soube disso antes de ver a confirmação em seus olhos.
Ele usava um terno preto com camisa branca e gravata prateada de tecido entrançado. Os cabelos pretos desciam pelo rosto até a gola da camisa numa queda sensual das madeixas escuras. Ele ainda olhava para mim com a mesma intensidade sexual que havia me tomado no começo, mas havia delicadeza no azul brilhante de seus olhos e uma receptividade que era mais importante para mim do que qualquer outra coisa que ele pudesse me dar.
Dei um passo na direção dele quando ele se aproximou.
“Bom dia, Moreno Perigoso.”
Ele esboçou um sorriso. Seus olhos ficaram ainda mais calorosos. “Bom dia, esposa.”
Peguei sua mão e me senti calma quando ele fez o mesmo gesto e segurou a minha com firmeza. “Contei a minha mãe hoje cedo… sobre nosso casamento.”
Ele arqueou uma sobrancelha escura, surpreso, e sorriu com prazer triunfante. “Que bom.”
Rindo de sua possessividade descarada, eu bati de leve em seu ombro. Ele se movimentou muito depressa, me abraçou e beijou o canto de minha boca.
A alegria dele era contagiosa. Eu a senti explodindo dentro de mim, iluminando todos os pontos que estavam muito escuros nos últimos dias. “Vou ligar para meu pai assim que conseguir. Para avisá-lo.”
Ele ficou sério.
“Por que agora e não antes?”
Falava baixo, com a voz contida para manter a privacidade. As pessoas que seguiam em direção ao escritório continuavam passando, prestando pouca atenção em nós. Ainda assim, hesitei em responder, estava me sentindo muito exposta.
E então… a verdade veio mais fácil do que nunca. Eu vinha escondendo muitas coisas das pessoas que eu amava. Coisas bobas, coisas importantes. Tentando manter o status quo esperando e precisando de mudança.
“Estava com medo”, falei para ele.
Ele se aproximou com o olhar intenso.
“E agora não está mais?”
“Não.”
“Vai me contar o porquê hoje à noite.”
Assenti. “Vou contar.”
Ele envolveu minha nuca com a mão, uma pressão possessiva e suave ao mesmo tempo. Seu rosto estava sério, não deixava nada transparecer, mas os olhos… aqueles olhos azuis, bem azuis… estavam ardendo de emoção.
“Vamos passar por isso, anjo.”
O amor me tomou com calor, como o efeito de um belo vinho.
“Com facilidade.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário