Resenhas

segunda-feira, 22 de junho de 2015

[RESENHA] "APENAS UM ANO", DE GAYLE FORMAN

Nome: Apenas Um Ano
Autora: Gayle Forman
Série: Apenas Um Dia (#02)
Editora: Novo Conceito
Onde comprar: Buscapé

Livro enviado como cortesia pela Novo Conceito
Em "Apenas um Dia", os momentos de paixão entre Allyson e Willem foram interrompidos de maneira abrupta, lançando a jovem em um abismo de questionamentos e dor. Agora a história é contada pela voz de Willem. Sem saber exatamente o que o atraiu na garota de olhos grandes e jeito comportado, o rapaz inicia uma busca obsessiva por pistas que levem até a sua Lulu mesmo sem saber sequer o seu nome verdadeiro.

Enquanto tenta compreender o mistério que os separou, Willem se esforça para costurar relacionamentos desgastados e procura respostas para o futuro. Mais do que uma aventura de verão, o encontro em Paris significou para ele o início da vida adulta. Da mesma autora dos best-sellers "Se Eu Ficar" e "Para Onde Ela Foi".

"Apenas um Ano" reúne todos os ingredientes de um romance imperdível: viagens, saudade, encontros, desencontros e amor.

Resenhas | Série “Apenas Um Dia”


 


"Apenas Um Ano" é mais uma graciosa história de Gayle Forman, cuja escrita continua tão fluída e gostosa de acompanhar que está fazendo da autora uma das minhas favoritas.

Esse livro é a sequência de "Apenas Um Dia" e dessa vez a história é contada a partir do ponto de vista de Willem, começando justamente no fim daquele dia que ele compartilhou com Allyson em Paris. Em "Apenas Um Ano" nós finalmente descobrimos o que aconteceu que fez com que ele a abandonasse sozinha em uma cidade completamente desconhecida para ela.

Willem acorda desorientado em um hospital. Ele teve alguns problemas e agora está sofrendo de uma amnésia temporária que levou embora suas lembranças mais recentes, entretanto há algo que ele ainda se lembra: Lulu.
"Tudo o que sei é que ela é uma garota que se parece vagamente com Louise Brooks. Mas o que é isso? Os contornos de uma pessoa, mas, na verdade, não mais reais do que uma fantasia projetada em uma tela."
É apenas um nome e Willem sabe que nem ao menos é o verdadeiro, mas ele também sabe que se refere a alguém importante e que essa pessoa está em algum lugar a sua espera. No entanto, a falta de informações não o impede de sair a procura de sua garota misteriosa e conforme suas memórias retornam, os pequenos detalhes sobre Lulu vem junto e conduzem Willem em sua busca.

Eu fiquei surpresa com a persistência do protagonista. Nesse livro pude perceber o quão grande é a impressão que Allyson causou em Willem, algo que não captei no primeiro livro. Da até agonia saber que Allyson também procura por Willem, mas mais do que isso, da agonia ver em certos momentos da história o quão próximos eles estão um do outro, sem ter consciência disso.
"E o mundo é maior ainda. E talvez tenhamos chegado o mais próximo que devêssemos chegar."
E claro, há um melhor aprofundamento sobre o personagem uma vez que ele é o foco da história. Em "Apenas Um Dia" conhecemos o Willem charmoso e despreocupado, que aproveita a vida como se fosse seu último dia na Terra. Em "Apenas Um Ano" vemos o que está sob a pele do personagem; seus medos, preocupações e os problemas familiares.
"Há uma diferença entre perder algo que sabia ter e perder algo que se descobriu ter. Uma é decepção. A outra é perda de verdade."
Willem tem bons amigos, mas parece ter dificuldades de se abrir com eles. Ele também era muito apegado ao pai, que sempre serviu como um elo entre Willem e a mãe, porém agora o pai está morto e o protagonista tem dificuldades de se relacionar com sua progenitora.

Se em "Apenas Um Dia" eu gostei de acompanhar o amadurecimento de Allyson, em "Apenas Um Ano" eu adorei ver o envolvimento de Willem com seus conhecidos, ou seja, ver o personagem baixar a guarda diante das pessoas que o amam.
"Então conto tudo a minha mãe. Sobre essa garota, essa garota estranha e sem nome a quem eu não mostrei nada, mas que viu tudo. Conto a ela que, desde que a perdi, me senti perdido."
Por mais divertido que seja viajar ao redor do mundo deixando que o acaso escolha o destino, não dá para fugir das perturbações que o atormentam. A jornada de Willem a procura de Lulu se torna uma busca por sua própria identidade. Não é possível viver para sempre dentro de uma bolha, empurrando os problemas da vida com um sorriso no rosto e fingindo que está tudo bem.
“Naquela ocasião, não entendi. O amor não é algo que se protege. É algo que se arrisca.”
Hashtag chateada para o desfecho abrupto do livro, que parece ser bem do estilo da Gayle Forman. O reencontro de Allyson e Willem é algo que o leitor espera durante toda a leitura, mas quando o momento finalmente chega ele acaba muito rápido e deixa um gostinho de quero mais. Espero que a Novo Conceito traduza "Just One Night", o conto com o capítulo final da história de Allyson e Willem.

Aliás, a Novo Conceito fez um bom trabalho com a revisão e diagramação da obra. A capa segue o mesmo padrão de "Se Eu Ficar" e de outros livros da autora que estão sendo lançados no Brasil, o que pode desagradar alguns leitores por se tornar algo repetitivo. No entanto é muito bonita e super de acordo com as situações que acontecem com Willem na narrativa.

"Apenas Um Ano" me rendeu uma ótima leitura, tendo me agradado ainda mais que o primeiro, que eu também gostei bastante. Acabei a história com saudades dos cenários bem detalhados e desejando ter mais de Alysson e Willem.



Clique aqui e baixe um trecho do livro, disponibilizado no site da NC.


Nenhum comentário:

Postar um comentário